Carregando, por favor aguarde
Cadastre-se e receba novidades
Assunto

Caminhoneiro

Mulheres caminhoneiras: dificuldades e preconceito

Mulheres caminhoneiras

Mulheres sofrem preconceito diariamente no trânsito. O que muitos não sabem, porém, é que elas são mais prudentes que os homens. Uma pesquisa feita para uma campanha do Instituto Renault mostrou que 70% das infrações são cometidas por homens.

Apenas 15% das mulheres avançam o farol amarelo, enquanto entre os homens esse número chega a 65%. São eles, também, que causam 71% dos acidentes de trânsito. Mesmo com dados, o problema persiste. Isso cria dificuldades e preconceitos para as mulheres caminhoneiras.

As motoristas da boleia, no entanto, têm muito a oferecer a esse segmento. Ao driblar os obstáculos, é possível explorar esse mercado com boas oportunidades. Na sequência, vamos mostrar os desafios que essas motoristas enfrentam e entender melhor sua atuação. Acompanhe!

O número de mulheres caminhoneiras no Brasil

O mercado de motoristas na boleia ainda é predominantemente masculino. De acordo com a pesquisa “Perfil dos Caminhoneiros 2019”, divulgada pela CNT, 99,5% dos entrevistados eram homens. As mulheres correspondem a 0,5% do contingente. Como são aproximadamente 2 milhões de motoristas na ativa, cerca de 10 mil profissionais estariam no ramo.

Em todo o país, entretanto, há quase 180 mil mulheres habilitadas para dirigir esse tipo de veículo. Então, o mercado pode se tornar maior.

O mercado de trabalho para o público feminino

O panorama de atuação para essas profissionais está se desenvolvendo. Afinal, a emancipação feminina no mercado de trabalho não tem mais do que algumas décadas.

Muitas empresas têm optado pela contratação de mulheres caminhoneiras para reduzir o número de multas da frota. É uma economia para os empreendimentos e um ponto contra o preconceito. Mesmo em um mundo machista, ainda há aqueles que admiram o trabalho dessas mulheres de fibra e respeitam o amor que elas demonstram pela profissão.

As principais ofertas disponíveis são voltadas para a movimentação de cargas no âmbito nacional. A ideia é garantir o transporte com menos ocorrências entre os diversos pontos do Brasil.

Ao mesmo tempo, novas ofertas também têm aparecido. Há um crescimento de oportunidades para países vizinhos, o que exige dedicação reforçada.

A maioria das motoristas, assim como os do sexo masculino, é autônoma. No entanto, a flexibilização de leis trabalhistas e o interesse por diferenciação faz com que grandes empresas ofereçam contratos regulares ou mesmo fixos. Então, as caminhoneiras podem aproveitar possibilidades que trazem maior segurança e previsibilidade.

Há opções, inclusive, que incluem o uso de carretas. As mulheres habilitadas para esse tipo de veículo são a minoria no ramo, mas isso dá a chance de se destacar e conseguir novas oportunidades.

O cotidiano atrás do volante

A princípio, a rotina das mulheres caminhoneiras não é muito diferente daquela encarada pelos homens. O principal objetivo é sempre transportar uma carga, em segurança, de um ponto a outro. Além de garantir a integridade dos elementos, é preciso cumprir prazos específicos. Por isso, requer um bom planejamento para atender ao que foi acordado.

A forma de transporte varia com o tipo de atuação. Há os contratos com transportadoras ou diretamente com os estabelecimentos. O destino pode ser o cliente final, outra unidade da empresa ou um centro de distribuição.

Para garantir o máximo aproveitamento de viagens, é comum que haja um frete de retorno. Isso permite que as caminhoneiras ganhem mais e usem melhor o combustível. Se tiverem um contrato trabalhista fixo, faz parte da produtividade do empreendimento.

No entanto, muitas mulheres têm jornada dupla, o que significa que elas precisam ter atenção com o que acontece dentro de casa. Nesse cenário, é comum que precisem cuidar de questões domésticas, o que exige uma dedicação extra a outras atividades.

As mulheres na boleia

Ser caminhoneira é uma profissão que passa por situações complicadas e muitos desafios. Ainda causa estranhamento e reações machistas considerar uma mulher dirigindo veículos de grande porte.

Entretanto, as motoristas são mais cuidadosas, como já dito, e prezam mais do que os homens pela vida útil do caminhão. Isso sem contar que elas costumam ser mais atentas e desempenham com maestria múltiplas funções.

Mesmo com todo esse cuidado do toque feminino, é importante investir em lonas de qualidade. Procure uma empresa séria para comprar sua lona com segurança.

Guia completo para ter segurança das estradasPowered by Rock Convert

Os desafios do segmento

Ser caminhoneiro é uma atividade desafiadora, tanto para homens quanto para as mulheres. Há os perigos da estrada, a necessidade de cumprir prazos estritos e todo o cansaço envolvido nas longas horas de transporte.

No entanto, as caminhoneiras ainda encaram algumas situações extras. Muitas sofrem preconceito da própria família quando decidem subir em uma boleia como forma de ganhar a vida. Por ser uma profissão predominantemente masculina, ainda causa estranhamento em várias pessoas o fato de que mulheres possam ser boas nessa atividade.

O preconceito, inclusive, pode prejudicar as ofertas de emprego e até fazer uma profissional ser deixada de lado ao competir com um homem pela mesma vaga.

Para completar, é comum que elas fiquem sobrecarregadas com as funções de casa, principalmente o cuidado com os filhos. Isso faz com que a separação, mesmo que temporária, seja mais complexa e exija adaptações. Muitas precisam aceitar trabalhos menores ou mais próximos justamente por causa da família.

Para ter um panorama completo, veja quais são os maiores desafios dessas profissionais:

  • longas jornadas em uma única posição;
  • necessidade de deixar a família;
  • falta de pontos de descanso bem estruturados;
  • escassez de sanitários pelo caminho;
  • falta de respeito e machismo;
  • preconceito;
  • dificuldade para ingressar no mercado;
  • vulnerabilidade a atos de violência sexual e física;
  • maior propensão a assaltos;
  • agressões verbais recorrentes, entre outros.

As dicas para se dar bem na profissão

A melhor forma de combater o preconceito é mostrando a garra que existe dentro de você. Não desanime nunca! A batalha leva à vitória. Então, nunca deixe de prestar seus serviços de forma exemplar só porque tem alguém torcendo contra.

Faça um bom planejamento de horários e rotas, de modo a garantir o cumprimento das condições previstas. Isso ajuda a trazer previsibilidade e gera clientes satisfeitos.

Também é muito importante manter a manutenção do caminhão sempre em dia. Antes de uma viagem, confira freios, itens de segurança, pneus de reserva e outras questões. Assim, diminuem as chances de ter que ficar parada na estrada.

Ao longo do trajeto, evite dizer qual é a carga ou para onde você vai. Faça paradas apenas em locais com bastante movimento, como postos de gasolina, restaurantes e lojas de conveniência. Não use atalhos e não percorra caminhos que não tiver estudado previamente.

Com a postura certa e os olhos na estrada, fica mais fácil chegar ao local desejado e se destacar como profissional.

A importância de ter bons parceiros comerciais

O sucesso na profissão não depende apenas das mulheres caminhoneiras. É fundamental que elas possam contar com o suporte correto para que todas as etapas sejam cumpridas.

Para manter a segurança da carga e até a conservação da carroceriausar lonas de qualidade faz a diferença. Comprar de uma empresa reconhecida no mercado e com boa variedade, por exemplo, é essencial para ter sucesso na tarefa.

Também é interessante ter bons contatos de transportadoras e de oficinas. Vale até a pena manter contatos com outros motoristas, como uma forma de conversar sobre oportunidades e até conquistar indicações.

As perspectivas para o futuro

Embora as caminhoneiras ainda sejam minoria, a tendência é que isso mude. Há um número crescente de mulheres que estão dispostas a desbravar novas profissões, o que promete trazer mais delas nas boleias.

O mercado também está mudando e, pouco a pouco, ocorre uma desconstrução do machismo em vários pontos. A tendência é que a carreira receba o mesmo apoio que outras atividades igualmente desempenhadas pelo sexo feminino.

Então, as motoristas terão cada vez mais mulheres em quem se inspirar e se apoiar. Com a preparação certa, será possível aproveitar esse movimento do mercado.

As mulheres caminhoneiras ainda são minoria no Brasil. No entanto, a atuação feminina nessa profissão, bem como em outras, é fundamental para toda a sociedade. Com a preparação certa, fica mais fácil encarar desafios e driblar os obstáculos do mercado de trabalho.

Para ficar por dentro das novidades e ter uma atuação muito melhor, assine a nossa newsletter e não perca nenhuma atualização!

Continue lendo em nosso blog sobre os cuidados que você deve ter com a lombalgia.

E-book: Caminhoneiro - saiba o passo a passo para se tornar um microempreendedor individualPowered by Rock Convert