Carregando, por favor aguarde
Cadastre-se e receba novidades
Assunto

Mercado

Tanque-rede para peixe: como escolher?

Tanque-rede para peixe

Avaliar um investimento é fundamental para garantir bons resultados no futuro. Assim, muitos piscicultores refletem bastante antes de adquirir produtos e equipamentos para seus negócios.

Uma das opções é o tanque-rede para peixe, que pode ser vantajoso em diversos aspectos. Neste artigo, vamos detalhar alguns deles, como as características do produto e o que levar em consideração ao escolher uma marca de tanque-rede. Para completar, vamos trazer informações a respeito da legislação para criação de peixes no Brasil.

Se você deseja saber mais sobre o assunto, não perca tempo e comece a ler agora mesmo!

Por que usar tanque-rede para peixe?

A principal vantagem do tanque-rede para peixe é a maior proteção que a estrutura oferece para a criação de organismos aquáticos. Construídos com telas de poliéster, protegidos por outras telas metálicas, os tanques-rede evitam a aproximação de predadores, especialmente aqueles com dentes, que podem atacar os peixes.

Mas os benefícios do produto não param por aí. O uso da estrutura descomplica o manejo dos animais aquáticos e sua observação no dia a dia — assim, torna-se mais fácil identificar doenças e começar o tratamento, por exemplo. Deficiências alimentares e comportamentos fora do normal também podem ser monitorados e resolvidos mais de perto.

A dúvida de muitos criadores é: como escolher o melhor tanque-rede? A seguir, abordaremos dicas que ajudam na tomada de decisão.

Como escolher o melhor tanque-rede?

Você já deve saber que os tanques-rede são classificados pelos seus diferentes tamanhos. Há produtos com capacidade para 8 m³, outros que vão até 108 m³ e, até mesmo, opções maiores do que isso. No entanto, mais do que a escolha do volume ideal comportado pela estrutura, há outros detalhes que fazem a diferença no dia a dia. Acompanhe!

Analise o material de fabricação e sua flexibilidade

Já sabemos que a principal função do tanque-rede é oferecer mais proteção para os peixes e evitar, assim, o ataque de predadores. Mas para que o produto seja realmente eficiente, ele deve ser fabricado com materiais de alta qualidade.

No caso do Vinitanq, o tanque-rede da Sansuy, a estrutura é construída com uma tela de poliéster de alta tenacidade, recoberta com PVC flexível e bastante resistente, chamada SANNET, envolvida por outra estrutura metálica.

Aqui, é importante destacar que nem todos os produtos do mercado contam com essa qualidade. Há diversas opções de tanques-rede em que as telas são feitas com alumínio. A Sansuy, no entanto, mantém o padrão do produto em aço-carbono, em razão de sua durabilidade, resistência e robustez.

Observe se o tanque-rede é de fácil transporte

Outro fator a ser considerado na escolha do tanque-rede é se ele facilita o transporte e o manejo dos peixes. Uma estrutura com tela coberta por PVC tem grande vida útil, mas há outra vantagem: ela não machuca os peixes que estão lá dentro. Isso é essencial na hora de transportar ou fazer o manejo dos animais.

Por ser um material mais maciço e mais flexível, na comparação com outros disponíveis no mercado, o SANNET ajuda a evitar condições em que os peixes sejam machucados, preservando-se, assim, o muco e as escamas. Dessa forma, as defesas do organismo dos animais continuam fortes, garantindo a criação e o desenvolvimento saudáveis.

Verifique se o tanque-rede oferece resistência à entrada de água

Na hora de decidir por um tanque-rede, é fundamental observar a abertura da malha. Ela deve ser grande o bastante para promover a troca da água que está dentro da gaiola e para que os peixes tenham um ambiente saudável para crescer e se desenvolver.

No entanto, há um limite para o tamanho da malha. Deve-se levar em conta o tamanho do peixe que está sendo alojado dentro da gaiola, para que ele não escape. O mesmo vale para os organismos que estão do lado de fora: eles não devem poder entrar no tanque-rede, sob pena de roubarem a ração dos animais que fazem parte da criação.

Certifique-se de que o produto permita observar os peixes

A fácil observação dos animais durante o seu processo de desenvolvimento é fundamental para detectar se eles estão crescendo adequadamente, se há peixes doentes ou outras situações que possam provocar prejuízos na criação.

O tanque-rede é uma das melhores opções para piscicultura nesse quesito. Porém, nem todos os produtos disponíveis no mercado oferecem a mesma capacidade de observação das condições ambientais. Leve isso em conta na hora de adquirir o seu.

Veja se o tanque-rede e sua tampa são efetivos contra predadores e fuga dos peixes

Apesar de o tanque-rede ter como maior vantagem a proteção contra predadores, há animais com dentes que podem romper telas e tampas de baixa qualidade. Para garantir que isso não ocorra, é preciso escolher um produto de qualidade comprovada.

Além do revestimento em PVC, o Vinitanq é fabricado com arame da Belgo Bekaert, uma renomada empresa indiana, e com materiais da ArcelorMittal, uma das líderes no mercado de aço. É essa combinação de fatores que garante a qualidade do produto e a proteção efetiva dos organismos aquáticos.

Faça um balanço entre o tamanho do tanque-rede e a população da criação

É necessário avaliar se, a depender do local escolhido para a produção, haverá condições hídricas — tais como correnteza ou taxa de renovação da água — dentro do tanque. Esse fator dita o tamanho que o tanque-rede deve ter.

Regiões de água muito parada, por exemplo, não comportam unidades de produção de grande volume e, por vezes, nem mesmo as de médio volume. Nesse caso, os criadores terão de se contentar em usar unidades de pequeno volume.

O que diz a legislação para uso do tanque-rede para peixe?

A legislação para a criação de peixes é complexa no Brasil. Em geral, as leis são bastante restritivas, mas não é possível falar pelo país como um todo. Cada estado adota a sua forma de legislar a respeito da atividade.

Existem resoluções específicas do Governo Federal que se aplicam a todo o território nacional, é claro. Porém, as leis estaduais e municipais não podem ser deixadas de lado. Há, inclusive, diversas diretrizes e normas que se aplicam especificamente para cada corpo d’água, o que dá uma ideia da complexidade do tema.

No entanto, alguns avanços já foram percebidos: em São Paulo, por exemplo, a legislação já se flexibilizou bastante, especialmente no que diz respeito à rota para a obtenção de licença para desenvolver atividades de piscicultura. Isso ocorreu graças à sensibilização da Secretária do Meio Ambiente à causa da produção de organismos aquáticos.

Em resumo, pode-se dizer que as normas ambientais ainda existem, o que é fundamental para proteger as espécies. Porém, o trâmite burocrático para a obtenção da licença se tornou mais simples. Essa abertura para discussão com a classe produtora foi essencial, pois o Governo Estadual atendeu a diversos anseios e reclamações das entidades de classe que produzem organismos aquáticos em São Paulo.

Esperamos que todos tenham apreciado as dicas para escolher tanque-rede para peixe. Para saber mais a respeito da estrutura, conheça de forma ainda mais aprofundada o Vinitanq.

Powered by Rock Convert