Carregando, por favor aguarde
Cadastre-se e receba novidades
Assunto

Caminhoneiro

Afinal, como calcular o valor do IPVA para caminhões?

Com a proximidade do período de pagamento de alguns impostos e o orçamento da maioria das pessoas apertado, surgem dúvidas quanto aos valores, prazos e parcelamentos. Quem trabalha como caminhoneiro autônomo, pode estar questionando o valor do IPVA para caminhões, como é calculado, a importância de pagar em dia e o que influencia nesse cálculo.

Se a sua curiosidade é a mesma, este post veio a calhar. Aqui, você terá a chance de saber detalhes sobre esse imposto, qual é o destino dos valores arrecadados e como se preparar para não comprometer o seu orçamento quando chegar a hora de cumprir essa obrigação. Acompanhe e saiba mais informações!

O que é IPVA?

Primeiramente, é importante entender o que significa a sigla IPVA. É o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores. Assim, todo proprietário de carro, moto, ônibus, caminhão e outros incluídos na categoria de veículo automotor estão obrigados a pagar esse imposto. Por isso, fique atento ao período e ao cálculo que precisa ser feito.

Assim como as demais regras, essa também comporta suas exceções. Então, as embarcações, as aeronaves e os veículos antigos ficam fora da incidência desse encargo. No entanto, a isenção varia de acordo com cada Estado.

Além dos citados acima, os reboques e os semirreboques também estão isentos da cobrança do IPVA, uma vez que não são considerados automotores.

Qual é a importância do IPVA?

Muita gente confunde a destinação do imposto e entende que todo o dinheiro arrecadado pelo Governo é, obrigatoriamente, usado para construir e manter as estradas e as demais infraestruturas de trânsito. No entanto, por se tratar de um imposto, não tem uma destinação específica: sua função é estritamente fiscal. Ou seja, é uma forma de fazer caixa para a administração pública, embora também possa ser usado nas estradas.

Assim sendo, todo o dinheiro arrecadado pode ser usado nas obras que a gestão julgar mais conveniente ou relevante. Hoje, parte do valor é destinado ao Estado onde o veículo foi emplacado e a outra é repassada ao município. Diante dessa informação, sua importância pode deixar de ter o mesmo impacto que grande parte das pessoas espera.

O que é considerado no cálculo do IPVA?

Essa pergunta é muito recorrente entre os proprietários de veículos, embora não seja algo tão complicado de se fazer. Basicamente, funciona da seguinte forma: o valor do imposto na tabela IPVA pode ser calculado de acordo com o tipo de veículo.

A alíquota é determinada pelos Estados — cada um com a sua — sobre o valor venal do carro, que nada mais é que o valor do veículo de acordo com a tabela Fipe. Isso mesmo! Essa tabela é o parâmetro para a obtenção do cálculo do IPVA que cada proprietário pagará.

Cada um dos Estados brasileiros, incluindo o Distrito Federal, define a alíquota do seu território, então cada um tem o valor de sua porcentagem apurada de maneira diferente. É, porém, uma taxa recolhida apenas dos carros movidos a biocombustíveis e gasolina, que representam a maioria dos veículos circulando nas ruas.

Outro critério considerado no cálculo do IPVA é o tipo de veículo e todos os Estados categorizam segundo suas próprias diretrizes. Isso faz com que haja diferenças expressivas nas porcentagens entre as regiões do país. Para se ter uma ideia mais concreta, podemos exemplificar as categorias aplicadas no Estado de São Paulo:

  • veículos de carga, caminhão;
  • ônibus e micro-ônibus;
  • caminhonetes cabine simples (capacidade para até 3 passageiros);
  • motonetas, ciclomotores, motocicletas, triciclos e quadriciclos;
  • empilhadeiras, máquinas de terraplanagem, locomotivas, guindastes, tratores e similares;
  • veículos movidos a álcool, a gás natural veicular (GNV) ou eletricidade — exclusivamente ou combinados entre si;
  • veículos não incluídos nas listas acima citadas, entre eles, os movidos a gasolina e a biocombustíveis.

Na listagem acima, a porcentagem para cada tipo de veículo aumenta na ordem disposta de cima para baixo. Em São Paulo, os caminhões pagam 1,5% de IPVA, enquanto os carros a gasolina injetam 4% referentes ao valor venal do veículo.

Guia completo para ter segurança das estradasPowered by Rock Convert

Para os ciclomotores e as motocicletas, o desembolso fica em 2%. Essas diferenças nas alíquotas são aplicadas entre as categorias, em todos os Estados (cada um atribuindo a sua alíquota).

Como calcular o IPVA do caminhão?

Conforme já dissemos, calcular o IPVA não é tão complicado. Agora que você já conhece a origem da base de cálculo, recomenda-se fazer uma consulta à tabela Fipe ou Molicar do mês anterior à data da emissão das guias para pagamento. Se o veículo for zero quilômetro, o cálculo deve ser feito pelo valor constante na nota fiscal.

A partir desse ponto, aplica-se a alíquota, que tem um percentual diferente em cada Estado, assim como nas distintas categorias de veículos. Quanto aos caminhões, essa alíquota varia entre 1% e 1,5%, conforme o Estado em que foi emplacado.

Para exemplificar, vamos supor que o seu caminhão valha R$120 mil e foi emplacado no Estado de São Paulo. Lá, a alíquota para caminhões é de 1,5%. Portanto, o imposto será obtido da seguinte forma: 120.000 x 1,5 / 100 = R$1.800,00. Esse será o valor do imposto a ser pago.

Em qual período o IPVA deve ser pago?

Sabendo quanto você deverá pagar, é importante se programar para cumprir essa missão no início de cada ano. Quem pretende adquirir um carro usado ou seminovo, pode considerar o começo do ano, já que essa é a melhor época para fazer esse investimento.

Nesse período, muitas concessionárias fazem promoções oferecendo, inclusive, veículos com o IPVA quitado. O mesmo ocorre quando você compra um carro de terceiro depois que o imposto venceu. É provável que o antigo dono já tenha pago, então, esse encargo só será exigido de você no ano seguinte.

Vale esclarecer que o imposto de um veículo usado é mais barato que de um carro novo. Isso porque o automóvel seminovo perde o valor logo que sai da concessionária.

Quais são as consequências de não pagar o IPVA?

Já ficou claro que o pagamento do IPVA em dia é uma obrigação de todo cidadão que tem um veículo em seu nome. No entanto, aqueles que ganham a vida por meio de transporte de cargas devem manter na agenda a data correta para cumprir esse compromisso como uma prioridade.

Se houver atraso no pagamento do imposto, o caminhoneiro pode ter diversos incômodos. Entre os mais graves, encontra-se a possível apreensão do veículo em uma blitz ou a perda do direito de transportar suas cargas.

Isso acontece porque as transportadoras que contratam profissionais autônomos e as empresas que agregam caminhões são extremamente exigentes nesse quesito. Além desse inconveniente, a dívida aumenta em função dos acréscimos de juros e multas.

Você deve ter notado que não é difícil calcular o valor do IPVA para caminhões e, mais que isso, deve ter percebido a importância de pagar esse imposto em dia. Para tanto, basta programar o seu orçamento e procurar manter a situação financeira favorável para o cumprimento desse encargo tão essencial para a sua profissão de caminhoneiro.

Agora que você já sabe como calcular o IPVA e está ciente da necessidade de manter sua quitação em dia, siga-nos no no Facebook, no Instagram, no LinkedIn, no YouTube e no Twitter. Assim, você ficará por dentro de mais informações sobre a sua profissão, além de outras curiosidades!

E-book: Caminhoneiro - saiba o passo a passo para se tornar um microempreendedor individualPowered by Rock Convert
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *