Carregando, por favor aguarde
Cadastre-se e receba novidades
Assunto

Feirante

Vida pessoal e profissional: feirante, como gerir uma empresa de família?

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que 65% do produto interno bruto (PIB) brasileiro provém de empresas de família. Esse número demonstra a importância dessas iniciativas para o cenário econômico nacional. E esse instituto apresenta outro dado bastante delicado: 70% delas encerram as atividades após a morte do seu fundador.

A falta de planejamento jurídico e a adoção de práticas de gestão equivocadas estão entre os principais fatores que culminam nesse triste desfecho. Para evitar esse cenário, reunimos seis práticas que vão contribuir para o sucesso do seu negócio familiar. Leia o texto na íntegra e descubra tudo isso!

Faça um planejamento sucessório

Como já destacamos, empresas familiares acabam encerrando suas atividades após a morte do seu fundador. Isso ocorre como consequência da falta de planejamento sucessório. Isto é, não são criados mecanismos para que a transição ocorra de forma tranquila.

Planejar a sucessão dentro de uma empresa familiar consiste em preparar o futuro dos negócios. Isso pode ser materializado por meio de dois instrumentos: protocolos de família e instrumento de cotistas. Neles, estarão definidas algumas diretrizes que vão assegurar a longevidade do empreendimento. Veja algumas delas:

  • critérios adotados na escolha do sucessor;
  • regras que devem ser respeitadas para o ingresso dos herdeiros na empresa;
  • direitos e deveres dos familiares que trabalham na empresa;
  • programas de educação e capacitação que serão ofertados aos colaboradores;
  • regras para compra e venda de partes na empresa.

Essas foram algumas das previsões que podem ser contempladas no protocolo de família e no instrumento de cotistas. Portanto, vale o destaque sobre a possibilidade de você, na qualidade de gestor do seu negócio, contratar uma consultoria em um escritório especializado em direito empresarial.

Evite a centralização das decisões

No tópico anterior, destacamos o quanto é importante adotar medidas para que a empresa se mantenha firme quando ocorrer a alteração do gestor. Agora, complementando essa ideia, vamos falar a respeito da necessidade do responsável pela gestão da empresa de delegar poderes.

Adotar essa postura terá impacto positivo, não só em termos sucessórios, mas também permitirá que o gestor possa acompanhar o curso do negócio familiar de forma estratégica. Isso fará com que ações possam ser planejadas e executadas em consonância com as necessidades do mercado.

Faça um controle contábil efetivo

Adotar posicionamentos estratégicos com vistas a colocar sua empresa de forma competitiva no mercado requer informações precisas. Nesse contexto, o controle e o gerenciamento contábil podem garantir os dados necessários para a materialização desse objetivo.

A maioria das pequenas empresas atuam de forma instintiva, uma vez que não monitoram os fluxos financeiros. Essa carência na gestão das contas inviabiliza o conhecimento acerca dos resultados. Dessa forma, não há como verificar se ocorreu lucro ou prejuízo no exercício financeiro.

Além disso, não raro, familiares que atuam na empresa fazem retiradas para suprir necessidades de cunho pessoal. Tal prática constitui algo nocivo aos negócios, pois ocasiona perda de capital para investimentos futuros. Se esse for o seu caso, recomendamos a você que reavalie o modelo de gestão contábil adotado o quanto antes.

Do mesmo modo, é muito importante que a cultura organizacional seja trabalhada para que os familiares não empreguem o capital gerado pela atividade-fim da empresa em questões de interesse pessoal. Portanto, ao adotar essas duas cautelas, você promoverá um ajuste importante para o sucesso da sua iniciativa.

Invista em capacitação constante

Fazer cursos de capacitação contínua é um diferencial que agrega valor a sua organização. Ter uma empresa pequena não é motivo suficiente para que os envolvidos no processo, com certa frequência, não participem de treinamentos.

Para tanto, estabeleça um cronograma de participação em cursos de capacitação. Além disso, ofereça a oportunidade a todos envolvidos, independentemente do grau de parentesco. Isso não só vai qualificar sua equipe, mas também estimulará a exercer com excelência suas funções dentro da organização.

Os cursos de capacitação podem contribuir para que seus colaboradores foquem seus esforços para entregar o seu melhor durante o atendimento ao cliente, por exemplo. Nesse cenário, o Sebrae disponibiliza capacitações gratuitas, que podem fazer com que sua equipe preste um atendimento diferenciado.

Paute suas decisões no interesse da empresa

Como destacamos, para que você consiga posicionar sua empresa familiar de forma competitiva no mercado, são necessárias algumas boas práticas que vão conduzir seu negócio a um nível de profissionalização desejável. Nesse contexto, as decisões estratégicas precisam estar pautadas unicamente no interesse da empresa.

Um ponto delicado para qualquer negócio, por exemplo, consiste na decisão de desligar um colaborador da equipe. Esse processo fica ainda mais difícil quando essa decisão será em desfavor de um parente. Porém, é oportuno frisar que tal opção deve estar pautada unicamente em um juízo de conveniência e oportunidade para a empresa.

Aposte em ferramentas tecnológicas para sua empresa de família

As soluções tecnológicas vêm sendo empregadas de forma crescente no mercado como um todo, pois permitem que dados sejam otimizados, rotinas sejam facilitadas e recursos sejam aplicados de maneira oportuna.

Mas como a inovação pode contribuir para a profissionalização da gestão das empresas familiares? A resposta é bastante simples. Há no mercado aplicativos que podem limitar o acesso a dados estratégicos da organização apenas àqueles que atuam em setores específicos.

Do mesmo modo, oferecer o que há de melhor para o seu cliente deve ser um dos objetivos de qualquer empresa. Para que isso ocorra, precisamos de bons fornecedores. Aplicativos como o Mercasy são uma solução interessante, pois além de ter um catálogo de parceiros, gera um relatório detalhado de cada um deles.

Logo, empregar essas ferramentas pode contribuir com a profissionalização de sua empresa e otimizar as rotinas desenvolvidas nas atividades do cotidiano da organização. Mesmo que sua empresa seja pequena, há sempre uma opção adequada às necessidades.

Agora que você conhece algumas boas práticas de gestão para sua empresa de família, está pronto para continuar sua caminhada na direção do sucesso. Por isso, procure fontes de conhecimento que darão suporte para colocar seu negócio à frente da concorrência.

Gostou do texto? Então, não deixe de compartilhá-lo nas suas redes sociais. Permita que essas informações contribuam para o sucesso de outras empresas de família.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *